Michel Temer diz que sem Reforma da Previdência, Brasil pode paralisar em sete anos

Ao participar com investidores estrangeiros nesta quarta-feira (29) da conferência do Bank of America Merrill Lynch, em São Paulo, o presidente Michel Temer voltou a defender a aprovação da Reforma da Previdência para se manter a economia do país nos próximos anos.

Segundo Temer, sem a Reforma da Previdência, o Brasil pode paralisar em até sete anos.  
“Se não fizer essa Previdência hoje, se não fizer agora daqui há três anos tem que fazer, porque senão daqui há sete nós paralisamos o país. É preciso aproveitar esse momento em que temos o apoio do Congresso Nacional, e precisamos cada vez mais entusiasmá-los que façamos esta reforma previdenciária, que não vai prejudicar ninguém. Há um ou  outro fato, questão dos trabalhadores rurais, dos deficientes, que eu compreendo. Nós podemos ainda negociar, de modo a aprovar uma reforma previdenciária.”

O presidente destacou que estatisticamente se não houver uma reforma previdenciária, em 2024 o país só vai ter verbas para pagar servidores públicos. “Nós estamos fazendo regras de transição, que permitem que, muito brevemente, as finanças públicas possam estar mais equilibradas e não possam gerar o que ocorreu na Grécia, em Portugal, na Espanha e na França, em que alguns em que foram obrigados a reduzir os valores das aposentadorias e reduzir os salários dos servidores públicos.”

Aos investidores estrangeiros presentes ao evento, Temer garantiu que eles podem voltar a investir, pois o país já está entrando nos trilhos novamente. Temer afirmou que a partir do segundo semestre e especialmente no último trimestre do ano, o desemprego estará combatido radicalmente, e que essa retomada ao combate ao desemprego e da sua efetivação já gera um clima de otimismo.
“Aos investidores eu digo sem medo de errar podem investir no Brasil. O Brasil está tendo o rumo, está sendo colocado nos trilhos e quem vier depois de mim encontrará um país em que a locomotiva pode andar tranquilamente, porque os trilhos estarão colocados.”
De acordo com o presidente, a melhora do ambiente econômico no Brasil se deve ao trabalho em conjunto do governo federal com o Congresso, ressaltando que essa “interlocução plena” com os parlamentares será fundamental para a aprovação das reformas necessárias para a retomada do emprego e do crescimento do país.