Mulheres Marcham Contra Maduro

MULHERES MARCHAM CONTRA MADURO

Após mais de um mês de protestos gerais contra o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, as mulheres saíram desta vez às ruas do país para exigir o fim da “selvagem repressão” do governo chavista aos opositores do regime.

A marcha liderada por deputadas e outras personalidades da oposição, contou com centenas de participantes que caminharam até à sede do ministério do Interior e da Justiça, no centro de Caracas.

O movimento não ficou restrito à capital, manifestações similares foram convocadas noutras cidades. Os protestos contra Maduro, exigindo eleições gerais como solução para a crise política e económica no país, salda-se já em 36 mortos, centenas de feridos e detidos, de acordo com a Procuradoria.

O líder da oposição e governador do estado de Miranda, Henrique Capriles, participa nos protestos e denuncia a prisão de 85 militares venezuelanos pelas forças de segurança leais ao governo.

Maduro descarta convocar eleições gerais. Em vez disso, entregou na quarta-feira passada um decreto de convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte para reformar a Constituição Metade dos 500 membros da assembleia seriam eleitos por setores – que a oposição diz que são controlados pelo governo – e metade pelo voto municipal.